Urgência  Pediátrica - Informação

Início

Coordenador - Dr. Carlos Figueiredo - Chefe de Serviço

Enfª Coordenadora - Isabel Silva

Anterior
 

 

CARACTERÍSTICAS

IDADE Atende crianças / jovens  até aos 16 anos e 364 dias, devendo passar para os 18anos no próximo ano.

 

 
 

 

FILOSOFIA DA URGÊNCIA PEDIÁTRICA

Evitar a hospitalização

Favorecer o acompanhamento da criança / jovem pela sua família

Proporcionar vivências no hospital próximas do ambiente familiar, social e escolar

Respeitar os direitos da criança / jovem hospitalizada 

 

Ø

 

ESTRUTURA FÍSICA

Secretariado

ØSala de espera
ØSala de reanimação
Ø2 Gabinetes de  triagem
ØSala de vigilância
Ø3 Gabinetes de Observação médica
ØSala de aerossóis
ØSala de tratamentos / pequena cirurgia
ØSala de gessos
ØCopa
ØUnidade de Internamento de Curta Duração UICD

Sala de reuniões

Gabinetes da Direcção

Secretariado da UICD

Sala de Pessoal

 

TRIAGEM

Após a chegada à urgência a criança/jovem observado pela Enfermeira da triagem.

Nesta observação a enfermeira colhe dados que lhe permitem avaliar e definir o grau de prioridade para a observação médica.

Esta observação médica não se efectua pela ordem de chegada ao serviço de Urgência mas sim pelo grau de prioridade atribuído na triagem

Esta atribuição de prioridades tem como objectivo reconhecer as situações mais graves e garantir o seu encaminhamento para a equipa médica de imediato.

A triagem deve ocorrer nos primeiros 5 minutos após a chegada ao serviço de urgência.

Após a triagem, e conforme orientação da Enfermeira, a criança/ jovem aguardará na sala de espera pela observação do médico de serviço

Enquanto aguardam a observação pelo médico, as crianças já tríadas ficarão sob observação da Enfermeira da triagem.

Qualquer alteração do seu estado deve de imediato ser comunicado á equipa de enfermagem, que voltará a observar a criança / jovem e, caso se justifique,  providenciará a observação pelo médico de serviço.

 

Prioridade 1

Observação imediata

qualquer situação em que a vida ou sua qualidade esteja em risco. 

Exemplos:

acidentes

intoxicações graves
comas
desidratações graves
queimaduras
convulsões
suspeita de meningite e/ou sépsis (febre e petéquias)

 

Prioridade 2

Observação o mais breve possível

 Febre em lactentes </= 4 meses
 Intoxicações ligeiras
 Dispneia inspiratória ou expiratória
 Doente referenciado
 A. L. T. E (situação aparentemente ameaçadora da vida)
 Desidratação ligeira ou moderada
 Vómitos persistentes
 Celulite pré - septal
 Pós convulsão
 Vítima de acidente
 Dor abdominal aguda

 Criança com as seguintes patologias crónicas: diabetes, fibrose quística, neoplasia, leucemia, doença degenerativa, doença metabólica, paralisia cerebral, atraso grave do desenvolvimento psicomotor

 

Prioridade 3

Observação quando possível

Febre (excepto se estiver incluída num dos grupos referidos na prioridade 2)

Catarro respiratório em lactente
Diarreia em lactente (sem desidratação)
Vómitos
Hematúria macroscópica
Polaquiúria e disúria
Claudicação (s/ história de traumatismo)
Outra patologia no lactente >/= 3 meses
Parotidite, varicela…

U. I. C. D.

É uma unidade onde as crianças / jovens ficam em observação durante, no máximo, 48h ao fim das quais pode:

· Regressar a casa se estiver bem

· Ser transferida para a Pediatria ou Neonatologia, ou outro Hospital

LOTAÇÃO:   6 CAMAS          

 1ª Sala – 2 camas grandes

 2ª sala – 3 camas de grades

 1 quarto com 1 cama de isolamento

 

 

REGULAMENTO

 
Acompanhantes:

Os Pais ou substituto legal.

Durante a noite fica apenas um dos acompanhantes (excepto em casos justificados).

Os acompanhantes podem e devem colaborar nos cuidados de saúde prestados à criança / jovem, conforme possível.

Tem direito às refeições principais o acompanhante que permanece junto da criança durante o período nocturno.

Quando circulam no hospital, devem estar identificados com cartão de identificação que lhe será atribuído na admissão, pela enfermeira responsável pela UICD.

Não são permitidas outras visitas ( excepto casos justificados)

  • As crianças/jovens internados na UICD estão identificadas e protegidas por um sistema de pulseira electrónica, que lhe será colocada na altura da admissão.
  • Antes da alta, se os pais não tiverem no automóvel o sistema de retenção adequado à criança, o mesmo será facultado pelo hospital em sistema de empréstimo. Na altura, A Enfermeira fornecerá aos pais/ acompanhantes toda a informação e documentação necessária para o efeito.

 

 

Consideramos fundamental a participação dos pais, formando uma parceria de cuidados com a equipa de saúde, com vista a manter o equilíbrio emocional e a minorar os efeitos da hospitalização na criança / jovem doente.

 

RECURSOS HUMANOS

EQUIPA MULTIDISCIPLINAR

 

Director do serviço: Dr. José Castanheira

 

Coordenador da urgência: Dr. Carlos Figueiredo

 

19 Enfermeiras

16 Pediatras

1 Cirurgiã pediátrica

7 Internos de pediatria

10 Auxiliares de Acção Médica

1 Técnica do Serviço Social

1 Secretária de Unidade

1 segurança

 

 

 

RECURSOS HUMANOS

 

Equipa Médica

Trata-se de um sector independente do restante serviço de urgência do hospital, sendo garantido o seu funcionamento pelo coordenador do sector, das 9 às 13 horas, por dois pediatras e um terceiro elemento, que poderá ser um pediatra ou um interno de pediatria. Geralmente existe o apoio de um Clínico Geral/Interno de Pediatria, das 14 às 24 horas, durante os dias de semana, ou das 9 às 24 horas ao fim-de-semana. O período nocturno é garantido por um pediatra e mais um ou dois elementos que poderão ser pediatras, internos de pediatria ou clínicos gerais; existe sempre um pediatra de prevenção 

RECURSOS HUMANOS

 

Equipa de Enfermagem

1 Enfermeira coordenadora (especialista em Enfermagem de saúde Infantil e Pediátrica)

2 Enfermeiras especialistas em Enfermagem de saúde Infantil e Pediátrica

10 Enfermeiras Graduadas (2 especializadas em Enfermagem de saúde Infantil e Pediátrica)

6 Enfermeiras (1 especializada em Enfermagem de saúde Infantil e Pediátrica)

 

 

 

Movimento do serviço de Urgência Pediátrica

 

 

Doentes observados na Urgência Pediátrica por ano

 O ano de 2007 verificou um acréscimo de cerca de 20% face a 2004

 

 

 

Doentes observados na Urgência Pediátrica (média diária)

 

 

Cima